Luto: Morre o narrador Luciano do Valle

Luciano do Valle morreu neste sábado, aos 70 anos Foto: Divulgação

Morreu na tarde deste sábado o narrador esportivo Luciano do Valle. Luciano tinha 70 anos e era o principal narrador da rede Bandeirantes. O jornalista faleceu após sofrer um infarto dentro de um avião, quando viajava com a equipe da emissora paulista para fazer a transmissão de Atlético-MG x Corinthians, neste domingo, em Uberlândia, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Luciano chegou a ser levado para o hospital Santa Genoveva, em Uberlândia, mas não resistiu.

Luciano estava se preparando para narrar a Copa do Mundo do Brasil e não pensava em aposentadoria. Em 2012, ele chegou a se afastar das narrações para tratar de um problema de saúde, mas se dizia entusiasmado com a Copa e as Olimpíadas no Brasil.

- Estava tudo preparado para ele chefiar a Copa e a gente recebeu essa informação. Ele passou mal dentro do avião e ele não resistiu. Foi para o hospital, mas não resistiu - disse Joel Datena, filho do apresentador José Luis Datena, durante o programa "Brasil Urgente" deste sábado.

Luciano do Valle nasceu em Campinas, em São Paulo. Seu pai, Rubens do Valle, trabalhava como comerciante, e sua mãe, Tereza de Jesus Leme do Valle, era professora. Começou sua carreira profissional aos 16 anos, como locutor na Rádio Educadora, ao lado do radialista Lombardi Netto. Em pouco tempo, começou a narrar futebol para a Rádio Brasil, de Campinas. Depois de uma passagem pela Gazeta, foi convidado, em 1968, para trabalhar na antiga rádio Nacional, de São Paulo.

Foi lá que começou a narrar diversas modalidades olímpicas, como vôlei e basquete. Luciano era um dos principais divulgadores do esporte olímpico. Em 1970, participou da cobertura da Copa do Mundo do México, conquistada pela seleção brasileira. Foi a sua primeira experiência em um mundial.

No início da década de 70 foi para a divisão de Esportes da Globo. Nessa época, apresentou por um breve período o programa "Dois minutos com João Saldanha", substituindo o jornalista e ex-técnico da seleção.

Pela Globo cobriu as Olimpíadas de Munique-1972. Após o Mundial da Alemanha, em 74, se tornou o principal locutor da emissora.

Ainda na Globo, cobriu as Olimpíadas de Montreal-1976 e Moscou-1980, além das Copas da Argentina, em 1978, e da Espanha, em 1982. Além de ter narrado várias provas de Fórmula-1. O narrador acompanhou o bicampeonato mundial de Emerson Fittipaldi, no GP dos Estados Unidos, em Watkins Glenn, em 1974, a vitória em Interlagos do brasileiro José Carlos Pace, em 1975, e o acidente de Niki Lauda, em Nurburgring, na Alemanha, em 1976.

Após o Mundial de 1982, se transferiu para a TV Record. Pouco tempo depois, foi apresentar o Show do Esporte na TV Bandeirantes. Luciano foi um dos responsáveis por transformar a emissora no Canal do Esporte.

Na Bandeirantes, ajudou a popularizar modalidades como vôlei, Fórmula Indy e a NBA, a liga de basquete dos Estados Unidos. Pela Bandeirantes, cobriu as Olimpíadas de Sidney-2000, a Copa da Alemanha de 2006, o Mundial da África do Sul, em 2010, e os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, em 2007. Também pela emissora, começou a narrar os desfiles das escolas de samba do grupo especial do carnaval carioca em 1999.

Teve duas passagens pela Bandeirantes. A primeira de 1983 a 2003. A partir de 1999, Voltou em 2006, onde trabalhava até os dias de hoje.

No canal, cobriu as principais lutas da carreira do lutador de boxe Maguila, e ganhou o apelido de Luciano do vôlei, por causa de suas narrações da geração de prata, nas Olimpíadas de Los Angeles, em 1984. No basquete, criou os apelidos Magic Paula e Rainha Hortência para as principais jogadores do time feminino que conquistou o Mundial de basquete de 1994.