Aumentam os casos de pessoas vítimas de exposição da intimidade na internet


Mãos digitando em um tecladoO número de vítimas que tiveram a intimidade exposta indevidamente na web, por meio dos vazamentos das chamadas “selfies” de nudez ou vídeos de conteúdo erótico, dobrou nos últimos dois anos.

Dados divulgados na última terça-feira (15) pela ONG SaferNet Brasil apontam que, em 2013, 101 casos de exposição foram atendidos pelo Helpline Brasil, um serviço gratuito de orientação psicológica oferecido pela ONG SaferNet Brasil às crianças, adolescentes, jovens, pais e educadores sobre situações de risco e perigo na internet.

Para a psicóloga Juliana Cunha, coordenadora do canal de ajuda da SaferNet Brasil, a intensidade do uso e redes sociais pelos jovens aumenta cada vez mais, tornando mais fácil o compartilhamento de fotos e vídeos íntimos de outros usuários.

Dos 1.861 atendimentos, através de e-mail e chat, realizados entre 2012 e 2013 pela equipe de psicólogos da SaferNet Brasil, 35,71% das vítimas têm entre 13 e 15 anos, enquanto outros 32,14% estão na faixa-etária de 18 a 25 anos. 
A grande maioria das vítimas é do sexo feminino.

Para tentar conter o número de vítimas de exposição indevida na web, a ONG lançou segunda-feira uma campanha batizada de “Selfie”, que alerta para o fato de que “a internet não guarda segredos” e propõe: “Mantenha a sua intimidade off-line”. 
Em fotos veiculadas nas redes sociais, veículos impressos e até em outdoors da cidade de São Paulo, a ação estimula que os jovens pensem duas (três, quatro, cinco…) vezes antes de publicarem e repassarem fotos nuas ou mensagens de texto eróticas. Em poucas horas a campanha atingiu mais de 10.000 likes e 800 compartilhamentos no Facebook.