Henrique anuncia R$ 25 milhões para adutora emergencial em Currais Novos


O deputado federal Henrique Alves (PMDB) anunciou nesta sexta-feira (23) que conseguiu junto ao Ministério da Integração Nacional a liberação de recursos na ordem de R$ 25 milhões para obras emergenciais que vão abastecer o município de Currais Novos, assolado pela maior seca dos últimos 100 anos. A novidade foi transmitida durante o Primeiro Seminário Água e Sustentabilidade, realizado na Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) local.

Durante a mesa de debates, após as explicações técnicas sobre as alternativas viáveis para o problema, Henrique Alves informou aos presentes que havia acabado de telefonar para o ministro Francisco José Coelho Teixeira e conversar sobre o assunto. Na ocasião, o ministro assegurou a liberação dos recursos. O presidente da Câmara dos Deputados ficou de entregar o projeto que está sendo concluído pelo Dnocs até quinta-feira, dia 29.

O projeto em questão trata-se de uma adutora de engate rápido, uma solução emergencial que consiste em puxar um ramal da adutora Serra de Santana, irrigada pela barragem Armando Ribeiro Gonçalves, para levar água até Currais Novos e Acari, principalmente. O projeto de engenharia já está concluído, faltando apenas a planilha orçamentária e o plano de trabalho. O Dnocs garante entregá-los até o prazo que ficou acertado.

Além da alternativa emergencial, outro projeto maior está sendo elaborado para solucionar definitivamente o problema. É um sistema adutor mais complexo que depende da construção da barragem de Oiticica, cujas obras devem durar ao menos quatros anos. “O projeto do sistema adutor já está no Ministério e foi dito e rebatido. Mas a seca angustia Currais Novos agora. Por isso, em nome de toda bancada potiguar, fiz esse pleito aceito pelo ministro”, afirmou Henrique.

O anúncio empolgou os participantes do debate que não esperavam que dali sairia uma resposta tão rápida em relação ao maior problema de Currais Novos atualmente. Além de Henrique Alves, discursaram o ministro Garibaldi Filho (PMDB) e a governadora Rosalba Ciarlini (DEM), precisou deixar o local por compromissos em Natal, pouco antes do anúncio da liberação dos recursos. Também participaram os deputados estaduais do PMDB, Walter Alves e Ezequiel Ferreira.

Os debates em torno da seca no município foram incentivados pelo grupo SOS Adutora, um movimento encampado por empresários locais através da CDL. Há um mês, o grupo mobilizou moradores num protesto que bloqueou as duas entradas do município. A situação também é acompanhada pelo Ministério Público, que exige a implantação de adutoras na cidade para solucionar o problema.