Quadrilha fortemente armada rende 150 pessoas e faz arrastão em festa rave em Pium


6u6u5u7iiCerca de 150 pessoas foram vítimas de um arrastão na noite deste domingo (19), em Pium, Parnamirim, na Região Metropolitana de Natal. Todas estavam em uma festa quando foram surpreendidas por oito homens fortemente armados que saíram recolhendo pertences de quem estava por lá. Uma pessoa que teria sido levada pelos criminosos ainda está desaparecida.

Segundo o coronel Jair Júnior, comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, o fato se deu por volta das 19h. Os assaltantes chegaram sem usar nenhuma máscara e armados de pistolas e espingardas calibre 12. “Algumas pessoas nos informaram que os criminosos estavam bastante nervosos e rapidamente conseguiram recolher os pertences de todas as pessoas que estavam participando da festa”.

Depois do arrastão, a quadrilha ainda teria obrigado três pessoas a entrar no carro de uma das vítimas. Após alguns minutos duas das pessoas levadas foram deixadas na estrada e a terceira continuou dirigindo o carro. Diligências foram feitas durante toda a noite, mas a vítima levada e os criminosos não foram localizados. “Na verdade essa parte que nos foi contada é bem estranha. As pessoas na festa estavam embriagadas e as informações são bem desencontradas. As pessoas sequer souberam informar qual era o tipo de veículo. Alguns falaram de um Celta, outra de um Corola”, destacou Jair Júnior.

O comandante do 3º BPM ainda afirmou que ninguém soube informar quem seria a pessoa que continuou refém dos bandidos. “Todas as pessoas que nós escutamos não souberam dizer quem seria essa pessoa, nem se era homem ou mulher. Como falei, as pessoas que participavam da festa estavam muito embriagadas, o que dificulta o trabalho da polícia. Nós também ainda não recebemos nenhum comunicado de que alguma pessoa esteja desaparecida. Passamos as informações para a Polícia Civil, que agora ficará responsável pelas investigações para saber o que aconteceu”.

Jair Júnior também criticou a organização da festa. De acordo com ele, a PM não foi avisada que o evento seria realizado. “Mesmo que seja uma festa privada, mas que irá atrair um grande número de pessoas, a PM precisa ser avisada. Assim ficamos alertas de que no local irá ter uma grande concentração de pessoas e qualquer ocorrência nos deslocamos rapidamente para o local. A festa nem segurança particular tinha. Independente se foi alguém de dentro da festa que ajudou os assaltantes ou não, com toda a certeza se pelo menos a festa tivesse com segurança particular, a ação dos bandidos poderia ter sido evitada. Quem foi vítima dessa ação criminosa, pode até mesmo processar o organizador, pois ele não garantiu a segurança das pessoas que participaram do evento”.

Por fim, Jair pediu que quem tiver alguma informação sobre o ocorrido entre em contato com a polícia. “É um caso que as informações estão desencontradas pelo estado das testemunhas quando a ação criminosa aconteceu. Quem souber de alguma coisa pode ligar para o 181 (Disque Denúncia) ou para o 190 mesmo, que a identidade será preservada. Apesar de ainda não existir confirmação se realmente os criminosos ainda estão com uma vítima, a PM vai trabalhar com essa hipótese até que tudo seja esclarecido”.

Dono de bar é morto a tiros em Natal

Na noite desse domingo, o comerciante Lindomar Januário da Silva, de 33 anos, foi assassinado a tiros quando estava bebendo com um amigo no bar do qual era proprietário, que fica localizado na rua São Januário, no Planalto, Zona Norte de Natal.

Segundo relatos de testemunhas, a vítima estava no estabelecimento quando saiu para baixar o volume do som do carro. Nesse momento, dois homens se aproximaram e atiraram contra Lindomar com uma espingarda calibre 12. Apesar disso, os suspeitos ainda desferiram golpes de faca contra o comerciante, que morreu dentro do veículo. A dupla estava encapuzada e fugiu do local rapidamente. Eles não foram reconhecidos pelas testemunhas do crime.

A mulher da vítima informou para os policiais que o companheiro era trabalhador e não tinha envolvimento com nada ilícito. Além disso, familiares desconfiam que o alvo dos bandidos seria o amigo de Lindomar que estava bebendo com ele. Ao checarem o histórico de Lindomar, já havia sido preso por furto, mas cumpriu pena e não respondia por nenhum tipo de crime desde então. A polícia realizou diligências na região, mas nenhum suspeito foi encontrado.