Assembleia concede título de cidadã norte-rio-grandense à Marinalva Dantas


Há 30 anos a advogada Marinalva Cardoso Dantas desenvolve atividades no Ministério do Trabalho e luta pela infância e por um futuro para crianças e adolescentes. Por esta razão, a deputada Márcia Maia (PSB) propôs a entrega do título de cidadã norte-rio-grandense à paraibana que foi adotada pelo Rio Grande do Norte. “Digo a todos que eu brotei em Campina Grande, mas fui regada em Caicó”, disse a homenageada que viveu sua infância no Seridó.

Atualmente, Marinalva coordena o projeto de Fiscalização do Trabalho Infantil no Estado do Rio Grande do Norte, o Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil, Aprendizagem e Proteção ao Adolescente Trabalhador – FOCA-RN, bem como a Comissão de Igualdade de Oportunidade, de Raça e Etnia, de Pessoas com Deficiência e de Combate à Discriminação. A advogada também coordenou o Grupo Móvel de Fiscalização do Trabalho Escravo, bem como chefiou a Divisão de Articulação do Trabalho e Emprego, do Ministério do Trabalho em Brasília/DF.

Para a propositora da homenagem, a deputada Márcia Maia os feitos profissionais de Marinalva são apenas uma ponta de um iceberg de benfeitorias e excelência no serviço público. “Para vocês terem uma ideia, além de artigos científicos e produção intelectual na área de combate ao trabalho infantil e escravo, nossa homenageada já protagonizou participações em grandes eventos como o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, e serviu como fonte especializada para reportagens produzidas pela BBC de Londres, TV Estatal espanhola, imprensa francesa e italiana, CNN, TV Universitária (UFRN), Rede Vida”, disse.

Márcia disse, ainda, que Marinalva também serviu seus conhecimentos à grandes revistas do mundo, como a Times, e do Brasil, como a Carta Capital e a Revista do Fórum Social Mundial, além de dezenas de jornais de circulação nacional e local. “Esta paraibana de sangue quente, que ferve contra as injustiças, mostra toda sua doçura no trato com as crianças alvo de suas incursões pelo país no combate à exploração e ao trabalho infantil”, declarou.

A deputada disse, ainda, que Marinalva foi ao Norte do País, onde combateu o trabalho escravo. “Vai à Brasília, sempre que necessário, ao TST para oferecer palestras sobre o tema. Participou, já aqui no Rio Grande do Norte, da criação dos grupos móveis de combate ao trabalho infantil, foi um das pioneiras nesse processo deflagrado no Brasil. Marinalva também idealizou o Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil no RN, mais conhecido como Foca, o primeiro no país e que serviu de exemplo para criação de outros por todo o Brasil”, explicou Márcia Maia.

GRATIDÃO

Durante a sessão solene, a homenageada fez um discurso emocionado e disse que sente orgulho de ser filha do Rio Grande do Norte. Na ocasião, Marinalva fez um agradecimento especial à Marcia Maia. “Obrigada por me conceder essa alegria enquanto eu tenho lucidez para reconhecer a sua importância. Ainda mais vindo de uma parlamentar que nunca deu as costas para as crianças. Fico feliz por ter sido lembrada por proteger crianças”, disse.

Marinalva disse que veio ao Rio Grande do Norte para um simples tratamento de saúde e por aqui ficou. Lembrou-se de momentos da sua infância em Caicó e de quando lia os quadrinhos do cartunista Ziraldo. “Tantos anos depois, tive a alegria de produzir duas cartilhas com Ziraldo sobre trabalho infantil”, disse Marinalva.

Sobre a vida no Rio Grande do Norte, Marinalva disse que toda a sua história foi construída com os potiguares. “Aqui aprendi a ler, fiz curso primário, ginasial, depois curso científico e pré-vestibular, que me deu suporte para entrar no curso de Direito da UFRN. Em 1984 passei no concurso para o cargo de auditor fiscal, que me deu prerrogativas para cuidar das aberrações do trabalho escravo e infantil”, afirmou.

A advogada também fez um agradecimento especial aos colegas de trabalhos. “Agradeço a todos do Ministério do Trabalho, são meus companheiros permanentes em minha luta diária. Agradeço aos colegas do CREA e da FEBEM, do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil. Fui criado longe dos meus irmãos e sempre busquei em cada amigo um irmão, para preencher esse vazio familiar”, afirmou.

Marinalva também homenageou sua família, destacando os filhos e netos. “Foram meus filhos potiguares que me fizeram desejar um mundo melhor. Pelos meus netinhos me esforço para que eles possam afirmar combater o trabalho infantil é coisa do tempo da vovó. Agradeço também aos meus paraibanos, sempre me acompanharam à distância e acreditaram que eu estava no melhor lugar”, concluiu.