APÓS “CONFISSÃO” DE PRIMO DE BRUNO: Polícia não encontra o corpo de Eliza e encerra buscas


Sem localizar quaisquer vestígios do corpo de Eliza Samúdio, a polícia mineira encerrou na tarde desta sexta-feira as buscas pela ossada da jovem no bairro de Santa Clara, em Vespasiano. A procura teve início porque Jorge Rosa Sales, primo do goleiro Bruno, prestou depoimento à polícia nesta quinta-feira e apresentou uma nova versão sobre o crime – já são pelo menos três até aqui. Eliza, que teve um filho com o goleiro Bruno, foi morta em 2010 na casa de um matador contratado pelos comparsas do então ídolo do Flamengo.

Sales acompanhou os policiais nas buscas, realizadas em local próximo à casa de Marcos Aparecido Santos, o Bola, executor de Eliza. O primo de Bruno foi novamente ouvido pela polícia mineira depois de afirmar, em entrevista à rádio Tupi, que o corpo da modelo não foi esquartejado, como disse anteriormente, e teria sido enterrado em uma pequena chácara próxima ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. À polícia, Sales apontou localização diferente da que havia dito à rádio.