Em protesto, manifestante morre atropelado por caminhoneiro no RS

Acidente ocorreu na BR-392, em São Sepé (RS) (Foto: Reprodução/RBS TV)

Um caminhoneiro foi atropelado e morreu durante protesto na BR-392 em São Sepé, município da Região Central do Rio Grande do Sul, na manhã deste sábado (28). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ele participava de uma manifestação que fechava a rodovia e acabou atingido por um caminhão. O motorista fugiu sem prestar socorro à vítima. Cléber Adriano Machado Ouriques, de 38 anos, morreu no local.

A mobilização dos caminhoneiros continua forte no estado, apesar das determinações judiciais para que os pontos sejam desocupados. Pelo sexto dia consecutivo, há pontos fechados em estradas estaduais e federais. As interrupções causam desabastecimento e escassez de mercadorias e houve prisões por vandalismo.

Conforme a PRF, o acidente ocorreu por volta das 7h. A vítima participava do ato quando um caminhão chegou próximo ao ponto, no km 297. O condutor do veículo passou em alta velocidade pelo trecho, apesar dos apelos do grupo.

A vítima e outros três manifestantes embarcaram em um carro e perseguiram o caminhoneiro. O quarteto desceu do automóvel e tentou impedir a passagem do caminhão. A vítima, segundo a PRF, se colocou em frente ao veículo. O condutor não parou e acabou atingindo o colega. A PRF ainda não localizou o atropelador.

O acidente gerou ainda mais protestos da categoria. Pela demora para a chegada da perícia, manifestantes chegaram a discutir com policiais rodoviários. As causas do acidente ainda serão apuradas.

Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência da República lamentou a morte por atropelamento do caminhoneiro Cléber Adriano Machado Ouriques, 38 anos, na manhã de hoje na BR-392 em São Sepé, no estado. "Ao mesmo tempo em que se solidariza com familiares e amigos, o governo federal reforça o compromisso e a disposição para que a normalidade volte às rodovias brasileiras", diz o texto.

Desde segunda-feira (23), caminhoneiros bloqueiam estradas federais e estaduais do país como forma de protesto contra o aumento do preço do óleo diesel, as más condições da pista e o alto preço dos transportes de carga. Atualmente, há bloqueios em cinco estados brasileiros.