Representando o prefeito Isaias, Fernandão e Rodrigues participaram de audiência pública sobre "Ionização Atmosférica", em Caicó

Na noite desta quinta-feira (11), o vice-prefeito Fernandão e o vereador Rodrigues de Naldo estiveram representando o prefeito Isaias Cabral em uma audiência pública, na UFRN campus Caicó, que tratou do tema: "Ionização Atmosférica", a tecnologia que “faz chover”. Uma alternativa para o combate à seca em nossa região. 

Dois empresários paulistas vieram ao estado para apresentar o funcionamento da metodologia aos caicoenses. De acordo com Cássio Clemente, Ceo da Rain & Co, empresa que representa a tecnologia no Brasil, o método de ionização da atmosfera através da eletrificação já foi usado com sucesso em países como México, Cuba, Rússia e Israel.


Na audiência, foi explicado que “cargas elétricas são jogadas na atmosfera e descarregam íons que começam a adensar moléculas de água. As moléculas vão se juntando até que tem a formação de nuvens e a precipitação”. A tecnologia foi desenvolvida em Israel. O uso dela depende da construção de estações compostas por torres: uma de 8 metros e sete menores de 3 metros. “As torres menores são dispostas ao redor da principal, num raio de 150 metros, interligadas eletricamente, e têm uma fonte de energia muito pequena de 1 kilowatt. Essa energia sai de baixo para cima, das torres menores para maiores, e acontece o processo eletromagnético. A energia se dispersa na atmosfera, eletrifica a atmosfera e começa o processo de adensamento”, disse Cássio.


Estima-se que sejam necessárias seis estações no Rio Grande do Norte. A construção de cada uma custa em média R$ 12 milhões e leva de 90 a 120 dias. “Duas semanas após a instalação já está chovendo”, disse o empresário. Segundo ele, em três anos será possível repor o volume dos reservatórios. “Não é um experimento, um teste, é uma tecnológica que já tem 15 anos e resultados comprovados em outros países”, afirmou.